A vida do Márcio depois do Cão Guia Brasil e de Raissa

abril25

Antes do Márcio, assim que o Antonio Márcio da Silva, o cara jovem, bonito, estudante e músico que comentei no post anterior, prefere ser chamado, conhecer a Raissa, ele conheceu o George. E foi em uma palestra no grupo de amparo ao cego lá em Niterói que ele teve contato com o George. Márcio achava que não poderia ter condições de ter um cão guia. Achava que era caro e não fazia ideia que o processo de adquirir o cão de assistência era por doações. Ele topou fazer parte do programa e foi selecionado. Assim ganhou Raissa, sua labradora, cão guia, protetora e companheira. Sua vida mudou completamente desde então. Antes ele se locomovia com a bengala, tinha muita dificuldade pois dependia das pessoas para atravessar rua, para não cair nos buracos e em outras situações do dia dia de uma cidade movimentada como o Rio de Janeiro. Há dois anos e cinco meses, a Raissa veio e fez muito mais. Márcio sentiu uma diferença na questão social também.

Márcio e Raissa

Márcio mora com os pais mas ele mora em cima e os pais embaixo com a bengala, não tinha com quem conversar e Raissa faz companhia para ele 24 horas. Claro que nem tudo são flores. Por ter que andar sempre com um cachorro nem sempre o deixam entrar em todos os lugares e já  foi barrado em alguns deles. Mas ele me disse que como está amparado pela lei federal 11.126 quando o estabelecimento não cede ele chama a polícia ou até mesmo a imprensa.
Como trabalho com turismo, perguntei como tinha sido a vinda dele para São Paulo, ele me disser de avião. Lógico que quis saber com qual companhia aérea e se tinha corrido tudo bem. Sabem qual foi a resposta? “Tam, e tudo correu super bem a Raissa veio no meu pé (ou seja na parte de cima do avião), como deve ser e eles me receberam super bem.” O hotel ele não sabia o nome mas me deu a mesma resposta positiva. Fiquei contente.
Para finalizar, o George, na conversa que tive com ele, me disse que na sexta-feira, dia anterior, saíram para jantar ele, o Márcio e o Jonas Santiago, outro menino que tem uma labradora, a Zuca, adestrada pelo projeto Cão Guia. O destino era o Bourbon Street porque Jonas e Márcio são músicos e gostam de jazz. Foram barrados na porta pelo segurança. George logo entrou em ação, apesar de não ser uma situação incomum para eles, é chato, pediram para chamar o gerente que depois de alguns minutos tudo se resolveu. Foi aí que George me comentou que também oferece treinamentos para o outro lado também ou seja todos que recebem cegos com cães guia e explica como o animal se comporta, como foi treinado e que não é um animal de estimação e sim uma ferramenta de qualidade de vida, de trabalho.
Realmente o trabalho do George é dar olhos e abrir os olhos de muita gente, parabéns!

Jonas Santiago com Zuca e Danieli Haloten, que prestigiou o projeto junto com seu cão guia Higgans

  



Marianna

2 Comentrios para o post

Comentários

  1. Fernanda disse:

    Olá.
    Eu estava procurando mais informações sobre o Pet Fashion Week,você teria o e-mail do Jonas Santiago?Eu estava conversando com ele domingo,mas esqueci de pegar algum contato.
    Fernanda.

  2. Marianna disse:

    Olá Fernanda, tudo bem? Eu não tenho o contato dele, mas pelo site do Cão Guia Brasil, que no momento está em uma tela de contato, você pode pedir o contato dele. Obrigada pela visita e sempre que puder venha nos visitar

E-mail não será publicado

Website example

Comentário:

 

Em breve novos eventos



Administrativo